[RESENHA] Drew: Dinâmica Perfeita - Mari Sales
Home Autora Mari Sales [RESENHA] Drew: Dinâmica Perfeita – Mari Sales

[RESENHA] Drew: Dinâmica Perfeita – Mari Sales

por Yukie
139 visualizações
Drew, um dos novos livros da Mari Sales é uma leitura rápida, com uma dose de erotismo, um roqueiro CEO sexy e uma executiva séria, e muito certinha, apesar da sua veia rebelde.
Neste livro vamos conhecer Drew e Tamy.
Tamy é uma workaholic que deu duro para chegar onde chegou, além de aguentar um diretor horrível e o falatório sobre como ela conseguiu ter o cargo que tem, Tamy é uma moça que perdeu muito e hoje luta para ter seu espaço garantido na empresa que tanto adora trabalhar.
As coisas ficam fora de controle quando um acidente acontece e o filho do chefe vem ajudar na empresa.
Drew está lidando com uma briga entre membros da sua banda. Apesar de ser o baterista de uma banda, ele é um homem centrado e muito inteligente, sofre por conta do seu passado familiar, mas continua tendo um coração bom e lindo.
Ele não quer um relacionamento, como também não quer voltar para a empresa da família, mas um pedido de seu pai o faz retornar e sua vida acaba mudando de uma forma positiva.
Em meio a uma conspiração, abuso moral no trabalho e gente maluca, o casal precisa lidar com o que sente e as mudanças, além de descobrirem se um relacionamento a “distância” daria certo ou não.
De novo a autora nos traz um livro rápido de ser lido, porém senti que alguns pontos na história precisam ser melhorados.
A primeira coisa que senti que precisa ser melhorada são os excessos. Drew lembrando a toda hora que ele é o baterista, por isso é “pouco visto” foi cansativo em alguns momentos. Outro ponto que acabou ficando cansativo foi o excesso de “quero ficar com ele, não posso ficar com ele” ou o “quero ficar com ele, mas ele vai embora logo”, além dos lembretes constantes de que a banda não está bem, mas pouco foi feito realmente.
Outro ponto que achei que ficou fraco foram as explicações sobre o porquê os personagens agiam do jeito que agiram. Drew sempre lembrando do seu sobrenome e o motivo da Tamy ser tão apegada a lembrança dos pais. Acabou ficando bem vago e pouco trabalhado aqui.
E por fim, teve o mistério na trama, algo que a autora sempre faz e sempre amo ler nos livros da Mari, apesar de que dessa vez foi bem fraco se comparado com os outros livros que já li da autora. Além de achar que faltou “castigo maior” para os “vilões” da história.
Fora isso, gostei dos personagens, apesar de em alguns momentos eles terem me irritado, porém gostei deles sim e da história também. Teve erotismo na medida certa, personagens que são completamente opostos, mas que se completam e não posso esquecer de citar o amadurecimento dos personagens.
Outra coisa que gostei no livro é a autora abordar o abuso moral no ambiente de trabalho, principalmente contra mulher.
O livro é contado em primeira pessoa e intercala os pontos de vista, algo positivo, porque foi possível entender o que se passava com ambos os personagens e o porquê tiveram algumas atitudes.
Gosto do clichê e da história rápida, a leitura fluiu bem e isso foi um ponto positivo para mim.
A capa do livro é bonita e combina bem com o roqueiro que temos no livro. No quesito diagramação, para o e-book está muito bom, porém, precisa de uma revisão final. Encontrei alguns erros no livro, não atrapalha a história, mas estão ali.
O livro é gostosinho, bom para passar o tempo. Não precisa ler os outros livros para ler este, apesar de que um é ligado ao outro, então a vontade de ler os outros livros surgiram em mim depois de ler Drew.
  • Capa
  • Diagramação
  • História
  • Personagens
  • Revisão
4.1

Ficha Técnica

Drew (Dinâmica Perfeita) por [Mari Sales]Andrew Jones Almeida está no meio de conflitos que não são dele. Seus melhores amigos entraram em crise por conta do amor proibido de Nick pela irmã mais nova de Guto. Para piorar a situação, o pai de Drew precisa de alguém de confiança para que o ajude em um grande problema na empresa.
Com as atividades da banda Dinâmica Perfeita suspensas, Drew resolveu ajudar a família ao mesmo tempo que buscava reconciliar os amigos. Ele estava sobrecarregado, afinal, ele tinha seus próprios assuntos para lidar.
O músico achou que seria fácil prestar serviço para o pai, mas ganhou uma babá executiva durante a estadia. Tamires era viciada em trabalho e não via com bons olhos o estilo de vida livre do filho do chefe. Disposta a fazer o seu melhor, ela não imaginava que os papéis seriam invertidos e que Drew poderia lhe influenciar a ter uma vida mais leve.
Restava saber se o amor era resistente para unir pessoas de mundos tão diferentes.

Número de páginas: 308 páginas
Editora: Portal
Classificação Indicativa: +18

Talvez você goste

Deixar um comentário