[RESENHA] Nutshell: Diário de um Aprisionado - Giulio Berruti
Home Autor Giulio Berruti [RESENHA] Nutshell: Diário de um Aprisionado – Giulio Berruti

[RESENHA] Nutshell: Diário de um Aprisionado – Giulio Berruti

por Yukie
25 visualizações
Nutshell é um livro que achei que não iria gostar, mas no final me senti meio apaixonada e me deixou com um gostinho de quero mais!
Neste livro vamos conhecer a vida de Nico. Um garoto estudante de direito que, teoricamente tem uma vida maravilhosa, com bons amigos….
Um bom garoto com uma vida “perfeita”, com algumas ressalvas. Porém, ele vem tendo pensamentos que desejava espantar, apesar de continuar se fazendo presente em sua vida e não posso esquecer da relação complicada que ele tinha com o seu pai.
Em meio a sua vontade de ter liberdade, Nico acaba indo para uma viagem “aproveitar a vida”. Em meio a drogas, diversões, sexo, amores e traições, ele decide aproveitar algo que sempre amou: corrida de carro. No entanto tudo se complica quando um acidente acontece e as coisas mudam drasticamente em sua vida o levando a caminhos que talvez sejam sem volta.
Posso dizer que inicialmente achei que não ia aguentar ler o livro. Ele começou bem devagar e de uma forma que achei que seria “monótono”, porém em determinado momento a história dá uma guinada e quando eu vi, já estava terminando o livro e desejando mais e mais dele.
Nico é um garoto com pensamentos difíceis. Não posso falar que é da idade, mas posso afirmar que achei que não iria gostar dele. Porém aos poucos ele foi me conquistando, junto com todas as reflexões que o livro acabou proporcionando. A busca do personagem por autoconhecimento, pela perfeição e as lições que ele foi tirando ao longo das páginas me trouxe ensinamentos também, algo que amei acompanhar e sentir enquanto lia.
Saber que esse livro, é meio inspirado em fatos reais (vulgo, uma experiência vivida pelo autor e seus amigos) tornou o livro mais interessante. O autor conseguiu me fazer sentir como se estivesse acompanhando os momentos ao lado dele, “vendo” ele escrever seu diário e todas as complicações que se passavam em sua mente. Eu adorei poder conhecer este livro.
Além disso, temos uma capa linda, uma boa diagramação e revisão, algo que ajudou a leitura caminhar de forma “certa”. Não vou falar que foi uma leitura fluída, porque como eu disse, inicialmente senti muita dificuldade, porém com certeza não me arrependo de não ter abandonado o livro.
Uma história com muitas lições, reflexões e até mesmo identificações. Vale a pena sim dar uma chance a história!
  • Capa
  • Diagramação
  • História
  • Personagens
  • Revisão
4.4

Ficha Técnica

Nico vive em um mundo perfeito, tem tudo o que deseja: tem a família certa, os amigos certos, um futuro seguro, muito dinheiro. Tudo em uma pequena bolha da qual ele deve escapar. Rapidamente. A sua “menina” faz 270 por hora, e em Roma há ruas e há noites feitas para lembrar aos homens que eles ainda não morreram.
Nico e seus amigos decidem, em uma dessas noites, participar de uma corrida clandestina. E o teriam feito novamente, se o céu de Roma não tivesse estourado em chamas anunciando a chegada de outro verão.
Quatro meninos e suas pranchas de surfe partem para a Costa Rica, com o propósito de ver se a onda mais alta é melhor do que uma corrida. Mas Nico nunca vai chegar perto de uma onda ou um carro durante sua viagem. Ele vai encostar em uma bela mulher e na morte, abraçar o mais poderoso narcotraficante costarriquenho e sua esposa, jogar uma granada contra o céu e ouvir a nova música dos fragmentos de sua antiga vida.

Número de páginas: 176 páginas
Editora: AllBook
Classificação Indicativa: +16

Talvez você goste

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »