O Homem de Giz - C.J. Tudor
Autor C.J. Tudor,  Editora Intrínseca,  Gênero: Mistério,  Gênero: Thriller,  Literatura Estrangeira,  Resenha de Livros,  Sem categoria

[RESENHA] O Homem de Giz – C.J. Tudor

“Nem sempre o que nos molda são as nossas realizações, e sim nossas omissões. Não necessariamente as mentiras, apenas as verdades não ditas.” 

Era verão de 1986 na pequena cidade de Anderbury,quando Eddie, Hoppo, Gav Gordo, Mickey Metal e Nicky brincavam pela vizinhança e faziam desenhos de homens palito com giz, para se comunicarem entre si, até que sinais estranhos guia-os até o corpo mutilado de uma garota. Porém, mesmo depois de 30 anos, mistérios ainda envolvem esse crime e todos os envolvidos.
O Homem de Giz é narrado por Eddie Adams, que intercala lembranças de duas épocas de sua vida: em 1986 quando ele ainda era criança, e 2016 quando já se passaram 30 anos desde o assassinato, e Eddie ainda tem dificuldades de entender e processar os acontecimentos de sua infância.
A história possui uma estrutura já conhecida, com um grupo de crianças mais espertas que o normal, que acabam vivenciando eventos bizarros e lidando como podem com eles. Mas o livro não é uma “cópia”, mesmo com essa homenagem a outras obras, C.J. Tudor consegue apresentar novos elementos, como os desenhos de giz feito pelas crianças, que no início era uma ideia inteligente e divertida, mas com o decorrer do tempo passa a ser usado de maneira não tão inocente e chegam a ficar bem esquisitos.
Algo que me incomodou foi a quantidade de coincidências que a autora encaixou no enredo só para que a trama caminhasse para onde ela queria, deixando algumas perguntas sem respostas, ou dando uma explicação que chocava mas não convencia.
Também não achei que os personagens foram tão bem explorados, gostaria de ter visto personagens mais esféricos, mas apenas Eddie teve o passado e a personalidade bem desenvolvidos, pois a partir da narração do personagem, era possível conhecer mais sobre ele. A autora acabou perdendo oportunidades para desenvolver alguns personagens, suas personalidades, relacionamentos e motivações.
Mesmo com esse desenvolvimento, a narrativa e escrita é fluída e me instigava a ler mais, a saber mais sobre o passado e finalmente ter uma resposta, sendo assim uma leitura bem rápida. A capa e edição do livro ficaram maravilhosas, e não encontrei nenhum erro ortográfico.
Leia O Homem de Giz

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *