Heroínas - Pam Gonçalves, Laura Conrado & Ray Tavares
Home Autora Laura Conrado [RESENHA] Heroínas – Pam Gonçalves, Laura Conrado & Ray Tavares

[RESENHA] Heroínas – Pam Gonçalves, Laura Conrado & Ray Tavares

Por Yukie
0 Comentário
Vamos falar de empoderamento feminino? Heroínas mostra totalmente a força da mulher, do que elas são capazes. 3 contos diferentes, com personagens que se encaixam com histórias interessantes, como Os Três Mosqueteiros, Robin Wood e Távola Redonda. Três autoras se uniram e escreveram contos que nos mostra que a mulher é poderosa.
O primeiro conto, conhecemos Daniela d’Artagnan é uma garota insegura e tem uma enorme paixão por animais. Em busca de um “estágio” no lugar dos seus sonhos, Mosqueteiros. Uma ONG que acolhe animais e ajuda a cuidar dos ferimentos, com veterinários e uma boa estrutura para os animais. Daniela foi esnobada logo na recepção e acreditou que seu sonho não seria alcançado, mas salvar um animal e se colocar contra homens “brutamontes” foi o que fez ela conseguir um espaço na Mosqueteiros, ajudando na organização do evento para adoção. Porém existem obstáculos. Pessoas que não são fãs de animais, ganância e armações.
O primeiro conto nos mostra que uma mulher, quando ela quer, arranja um jeito de resolver os problemas e faz acontecer. Diferente dos livros, que sempre tem um homem presente a defendendo, aqui é a Daniela e suas amigas lutando pelos sonhos delas.
Já no segundo conto, conhecemos Marina Artiaga, uma garota que está prestes a se formar no ensino médio e que recebeu um grande desafio: Fazer a feste de formatura acontecer, sem verba nenhuma.
Vivendo de acordo com o que os outros querem, Artiaga acabou entrando na “comissão” para a festa de formatura e com isso, reuniu algumas garotas de outras salas para ajudar. Em meio a arrecadação de fundos, Artiaga precisa lidar com o ENEM chegando e com grandes decepções. Porém também vemos amizades surgindo, descoberta e uma “libertação”.
Aqui, a força feminina está presente de uma forma diferente. Além de se unirem para fazer a festa acontecer, elas se unem para “defender” Marina de um garoto idiota e machista.
Uma festa incrível, mas o que mais gostei foi a forma como Marina lidou com todas as amarras que ela teve praticamente a vida inteira. Ela enfrentar os problemas de cabeça erguida, com ajuda de suas novas amigas e ainda ser ela mesma. Além disso, temos um outro assunto nesse conto, que vale a pena ser abordado: a escolha da sua sexualidade.
E por fim, no terceiro conto, conhecemos Roberta Horácio. Uma garota que perdeu tudo. Sua mãe se foi por conta de uma doença e seu pai, por vingança. Determinada a ter a sua vingança contra aquele que a feriu de forma profunda, Roberta começa a “roubar” dinheiro dos políticos, religiosos e todos os tipos de pessoas ricas que conseguiram sua fortuna de forma suja, para dar aos necessitados. Seja uma comunidade, uma ONG, um asilo… Todo o dinheiro que ela retira dos ricos, ela devolve aos pobres.
E de que forma ela consegue isso? Sendo uma cracker. Ou seja, usando suas habilidades em frente ao computador para conseguir isso. No entanto, a chance de se vingar daquele que mais lhe fez mal surge e a força de Roberta novamente aparece.
Eu adorei esse conto. Vendo a Roberta se virando sozinha, conhecendo a história dela e até se comovendo, além de acabar rindo um pouco, principalmente com as amigas malucas dela.
Creio que estou simplesmente apaixonada por esse livro. Trazendo contos incríveis, nos mostrando a força feminina, nos ensinando e cativando. Adorei a escrita das três. Assumo que conheci somente agora e não me arrependo de ter conhecido. Grandes lições podem ser tiradas desses contos. Seja para a mulher não desistir, mostrar a força dela e aceitar a si mesma.
Além disso, a editora fez um ótimo trabalho. A capa combina totalmente com os contos, a diagramação está linda e a revisão impecável.
Se eu amei? Imagina. Só acho que todo mundo precisa ler.
  • Capa
  • Diagramação
  • História
  • Personagens
  • Revisão
5

Ficha Técnica

Três escritoras brasileiras — Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares — reinventam clássicos para inspirar cada vez mais heroínas. Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem. Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura. Laura Conrado imaginou as Três mosqueteiras como veterinárias de uma ONG, que de repente contam com a ajuda de uma estudante que não hesita em levantar seu escudo para defender os animais. A Távola Redonda de Pam Gonçalves é liderada por Marina, que diante do sumiço do dinheiro que os alunos de sua escola pública arrecadaram para a formatura, desembainha a espada e reúne um grupo de meninas para garantirem a festa que planejaram. E Roberta é a Robin Hood de Ray Tavares. Indignada com a situação da comunidade em que vive, a garota usa sua habilidade como hacker para corrigir algumas injustiças. Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente.

Número de páginas: 256 páginas
Editora: Galera
Classificação Indicativa: +12

0 Comentário
0

Posts Relacionados

Deixe um comentário