Um Sedutor Sem Coração - Os Ravenels #1 - Lisa Kleypas
Autora Lisa Kleypas,  Editora Arqueiro,  Gênero: Romance de Época,  Literatura Estrangeira,  Resenha de Livros,  Série Os Ravenels

[RESENHA] Um Sedutor Sem Coração – Os Ravenels #1 – Lisa Kleypas

Olá, amores! Tudo bem?
Voltei com uma nova resenha de romance de época, dessa vez da minha diva Lisa Kleypas. Esse é o primeiro livro da nova série dela, que está sendo lançada aqui no Brasil pela Editora Arqueiro e (graças a Deus!) já está com o quarto livro em pré-venda.
No início da série dos Ravenels temos o livro Um Sedutor Sem Coração que conta a história do libertino Devon e da aparentemente fria Kathleen.
Inesperadamente, um conde primo de Devon Ravenel, morre e deixa todas as suas responsabilidades sobre o libertino: um condado cheio de dívidas, propriedades em situação lastimável, três irmãs e… a sua viúva.
Devon, por não querer nenhuma responsabilidade para si mesmo, se mostra um verdadeiro cretino quando vai até a propriedade rural de seu falecido primo e percebe que tudo está basicamente… ruindo. Ele decide que é melhor se livrar de tudo, desde os imóveis, às responsabilidades, até as suas primas e a viúva. Faz isso sem sequer se dar o trabalho de pensar nas pessoas que dependiam dele naquele momento ou nas primas que ficariam desamparadas. Sinceramente eu senti muita raiva dele no início. Ele com certeza fez jus ao “sem coração” do título.
Do outro lado temos Kathleen, a viúva, que desde o principio já percebe o que o Devon pretende fazer com a propriedade em que ela vive com as irmãs de seu falecido marido, e não faz questão de esconder o que acha do novo conde ou das atitudes egoístas que ele pretende tomar. Kathleen é forte, justa, mas desde o início também se mostra um pouco fria e isso é algo que compreendemos apenas no decorrer da história. Quando os segredos dela, e o seu passado, vêm à tona. Desde que ela aparece eu já senti que gostaria dela, por que, né? Uma mocinha forte, pra bater de frente com um mocinho cretino. Adoro. ~risos~
Quando os dois se conhecem, a Kathleen está usando véu (por causa do luto) e isso atiça a curiosidade do Devon, que queria saber como seria o rosto daquela mulher intrépida que se mostrava tão fria, sobretudo com ele e seu irmão, West. Ele gosta de provocá-la, irritá-la tanto quanto ela o irrita e numa tentativa de fazer isso, e descobrir como ela realmente é, Devon consegue tirar o véu dela. E o que encontra é diferente de tudo o que imaginou.
Kathleen é linda. Isso o surpreende e, acredito eu, foi o pontapé inicial para ele começar a vê-la de uma forma diferente. Não como a viúva fria e chata que o acusa de ser egoísta quando ele acredita estar sendo sensato, mas como uma mulher jovem e bela que não consegue fazê-lo se sentir culpado, mas que com certeza é capaz de provocar algo em sua mente e corpo.
Em um belo dia (ou não!), algo que nem ele, ou ela, esperavam ou queriam que acontecesse, é capaz de aproximá-los um pouco. Kathleen aguentou o sentimento de culpa por muito tempo e se deparar com um dos responsáveis por ela se sentir daquela maneira é demais pra ela, por isso acaba desabando e não é capaz de se impedir de fazer isso nem porque Devon está por perto, para vê-la daquela forma.
Sinceramente, eu achei a cena muito bonita, naquele momento vi um lado diferente do Devon e achei que poderia finalmente começar a gostar dele, acredito que se fosse mostrada completamente pelo ponto de vista dele, eu teria entendido melhor as mudanças abruptas nele, o fato de finalmente mostrar ter um coração, de se sentir tão atraído pela Kathleen e decidido a tê-la. Mas infelizmente não foi assim. E em alguns momentos acabei sentindo até um pouco forçado.
O romance entre os dois nasce a partir daí, e também depois desse episódio e de perceber que os funcionários da fazenda também esperavam que ele cuidasse de tudo, Devon decide que poderia ao menos tentar fazer aquilo. Mais uma vez eu senti que essa decisão dele ficou um pouco forçada. Porque ele tava decidido a vender tudo, tinha dito e pensado umas coisas bem egoístas (que me fizeram querer entrar no livro e bater nele!), então ele simplesmente decide que pode tentar e que vai fazer aquilo?
Admito que eu fui com muitas expectativas pra ler esse livro, depois de ler nove livros seguidos da Lisa, seria impossível não estar com expectativas altas, talvez por isso ele não tenha me conquistado tanto quanto os outros dela. A história, para mim, tinha tudo pra ser muito boa, e apesar de ter sido em muitos momentos, como nas cartas trocadas entre os dois, e dos momentos de provocação, em vários outros eu senti que poderia ter sido melhor explicado e desenvolvido. Não senti que o crescimento\amadurecimento dos personagens foi bem desenvolvido, sabe?
No fim, eu percebi uma evolução na escrita da Lisa, mas alguns pontos sobre os personagens e o desenvolvimento do romance dos dois, deixou a desejar para mim. Mas claro, essa é minha opinião, recomendo a todos que leiam e tirem suas próprias impressões sobre o livro, porque mesmo com isso, vale muito a pena, sobretudo porque nele conhecemos os outros personagens:
As gêmeas Pandora e Cassandra, a encantadora e delicada Helen, que são primas do Devon. O West, que é irmão do Devon e, como ele, foi um verdadeiro cretino irresponsável no início, mas que também cresceu e amadureceu muito durante esse primeiro livro e terminou como alguém que eu realmente gostei. Me vi ansiosa pela história dele. E, por fim, Rhys Winterborne (meu crush eterno!) que será o mocinho do livro dois.
Apesar de, no geral, não ter me apegado tanto aos mocinhos desse primeiro livro, eu amei os personagens secundários e já fiquei muito ansiosa para as histórias de cada um deles. Como já li os dois livros seguintes da série posso dizer que ela apenas melhora. Rhys e Gabriel são mocinhos incríveis e suas histórias são apaixonantes. Depois volto com as resenhas dos livros deles <3
Enfim, é isso. E aí, já leram esse ou outro livro da Lisa? O que acharam? Contem-me tudo!!
Beijoooos *————–*
  • Capa
  • Diagramação e Revisão
  • História
  • Personagens
4

Ficha Técnica

“A caracterização perspicaz, a química entre os personagens, uma pitada de humor mordaz e um herói lindo de morrer – tudo isso deixará as legiões de fãs de Lisa Kleypas encantadas.” – Booklist “Uma narrativa temperada com tiradas espirituosas e cenas sensuais. A mudança nas motivações dos personagens eleva este romance a um lugar de destaque.” – RT Book Reviews Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas. A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon. Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar. Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu? Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.

 

Número de páginas: 320 páginas

Onde comprar: Amazon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *