[RESENHA] Vozes do Joelma: Os gritos que não foram ouvidos - Tiago Toy, Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini
Home Autor Marcos DeBrito [RESENHA] Vozes do Joelma: Os gritos que não foram ouvidos – Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini

[RESENHA] Vozes do Joelma: Os gritos que não foram ouvidos – Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini

Por Yukie
0 Comentário
Vozes do Joelma um livro com coletâneas de “contos” arrepiantes e viciantes!
Este livro nos traz diversas histórias sobre o Edifício Joelma. Para quem não conhece, o edifício está localizado em São Paulo e acabou incendiado por conta de um curto-circuito em 1974, matando quase 200 pessoas e ferindo mais de 300 pessoas. Atualmente ele é um dos locais “amaldiçoados”.
Usando como base este local, no livro Vozes do Joelma encontramos histórias arrepiantes, que sinceramente, me fizeram temer algumas coisas, principalmente pela forma como os autores escrevem. Eles praticamente me transportaram para dentro do livro, por conta da forma viciante e cativante em que eles escrevem suas histórias.
Cada história nos apresenta um personagem diferente.
O primeiro conto é do Marcos DeBrito e ele nos apresenta uma história sobre assombrações e fantasmas. Pablo é um homem “doente”. Com evidências de sofrer algum sério transtorno psicológico, ele é assombrado por fantasmas em busca de vingança. Ao longo da história, ele conta o que fez com sua família em busca “de sua felicidade” e por conta de suas escolhas e paranoias, algo acaba acontecendo e se tornando seu “castigo”.
Já o segundo conto, que é do Rodrigo de Oliveira, vamos ter temas bem pesados. Sinceramente, esse foi um dos contos que mais me chocou e me deixou até mesmo um pouco nauseada, principalmente por pensar que realmente acontece isso, que realmente existem pessoas doentes ao ponto de serem monstros. Temas como pedofilia e pornografia infantil são apresentados, e a forma como é contada, você só deseja o devido castigo, além de ser um grande tapa na cara das pessoas.
Marcos Barcelos já nos apresenta a parte fantasmagórica. Amilton é um homem trabalhador. Desde pequeno lutando para sobreviver, ele consegue um emprego fixo, mas não contava com o enterro de algumas pessoas que morreram no Joelma e ser, praticamente, assombrado depois disso. Assumo que foi bem medonho, mas adorei a história, apesar de tudo.
E por fim, temos a história do Victor Bonini. Ele nos apresenta uma idosa que, aparentemente, tem bipolaridade ou algum transtorno que a faz ouvir vozes em sua mente. Ela cometeu um crime, mas até então, ela não tem lembranças disso, só que ela sabe que precisa esconder o corpo e com isso, acabou gerando grandes consequências, principalmente em sua mente.
Para ajudar na loucura dela, aparentemente tem um homem que fica na escada com algumas chaves que está disposto a ajudá-la.
A mente dela é um emaranhado de confusão, psicose e muita coisa estranha, e com isso ela acaba se afundando e sendo “atacada” pela ajuda que ela tinha conseguido.
Sinceramente, cada história, foi um mini ataque cardíaco. Histórias horripilantes, mas tão bem escritas, que você sente medo, não quer virar a página por pavor do que possa acontecer, mas está tão curioso para saber o desfecho, que se vê devorando o conto de forma relativamente rápida.
A tesão que as histórias trazem, o medo que acaba sendo criado e o desfecho surpreendente torna a leitura ao mesmo tempo apavorante, mas cativante.
Adorei a ideia de juntar essas mentes sombrias e criar um livro que nos prende, assusta e ainda agora a vontade de conhecer mais sobre o local, principalmente por saber que aquele local é real. Existe sim lendas sobre maldição, fantasmas e diversas outras coisas sobre o local.
É um livro incrível!
Achei que ia gostar pelo suspense, mas não pensei que iria me perder entre todos os sentimentos que as histórias me trouxeram.
Inclua tudo isso a uma edição maravilhosa. A capa está simplesmente linda, diagramação impecável e revisão do mesmo jeito, me vi devorando o livro e tendo alguns pesadelos, mas mesmo assim, amando a história.
Se você, assim como eu, adora um bom suspense e terror, vale muito a pena dar uma chance a este livro.
  • Capa
  • Diagramação
  • História
  • Personagens
  • Revisão
5

Ficha Técnica

Marcos DeBrito, Rodrigo de Oliveira, Marcus Barcelos e Victor Bonini são autores reconhecidos pela crueldade de seus personagens e grandes reviravoltas nas narrativas. As mentes doentias por trás dos livros A Casa dos Pesadelos, O Escravo de Capela, Dança da Escuridão, Horror na Colina de Darrington, Quando ela desaparecer, O Casamento, Colega de Quarto, e da série As Crônicas dos Mortos, se uniram para criar versões perturbadoras sobre as tragédias que ocorreram em um terreno amaldiçoado, e convidaram o igualmente perverso Tiago Toy para se juntar na tarefa de despir os homicídios, acidentes e assombrações que permeiam um dos principais desastres brasileiros: o incêndio do edifício Joelma. O trágico acontecimento deixou quase 200 mortos e mais de 300 feridos, além de ganhar as manchetes da época e selar o local com uma aura de maldição. Esse fato até hoje ecoa em boatos fantasmagóricos que envolvem a presença de espíritos inquietos nos corredores do prédio e lendas sobre lamúrias vindas dos túmulos onde corpos carbonizados foram enterrados sem identificação. Algo que nem todos sabem, é que muito antes do Joelma arder em chamas no centro de São Paulo, o terreno já havia sido palco de um crime hediondo, no qual um homem matou a mãe e as irmãs e as enterrou no próprio jardim. Devido às recorrentes tragédias que marcaram o local, há quem diga que ele é assombrado por ter servido como pelourinho, onde escravos eram torturados e executados. E sua maldição já fora identificada pelos índios, que deram-lhe o nome de Anhangabaú: águas do mal. Se as histórias são verdadeiras não se sabe… A única certeza é que a região onde ocorreu o incêndio tornou-se uma mina inesgotável de mistérios. E, neste livro, alguns deles estão expostos à loucura de autores que buscaram uma explicação.

Número de páginas: 288 páginas
Editora: Faro
Classificação Indicativa: +16

0 Comentário
0

Posts Relacionados

Deixe um comentário